capa noel

NOEL ROSA, PRETO E BRANCO

A cantora Valéria Lobão grava raridades de Noel Rosa em cd duplo, com participação de 22 pianistas

Noel Rosa ainda tem muito o que contar. Foi essa constatação que fez a cantora carioca Valéria Lobão reunir canções surpreendentes de Noel Rosa em voz e piano, pra lançar o seu segundo cd NOEL ROSA, PRETO E BRANCO.

 Em um mergulho apaixonado na música e história do Poeta da Vila, Valéria descortina uma obra praticamente esquecida no tempo. Desde 2011, a ideia de gravar um cd com essas canções não sai mais de sua cabeça. E ao decidir que seria um cd de voz e pianos, com cada pianista escrevendo e executando o seu próprio arranjo, trata de convidar grandes nomes para o projeto. Eles vem e fazem uma linda parceria, brindando o cd NOEL ROSA, PRETO E BRANCO com muita beleza e requinte.

Ao todo, são 22 grandes pianistas, cada um assinando e executando o seu arranjo inédito – João Donato, Gilson Peranzzetta, Leandro Braga, André Mehmari, Cristovão Bastos, Vitor Gonçalves, Itamar Assiere, Adriano Souza, Rafael Vernet, Duo GisBranco, Tomás Improta, Claudio Andrade, Rafael Martini, Fernando Leitzke, Marcos Nimrichter, Robert Fuchs, Cliff Korman, Adriano Souza, Eduardo Farias, Gabriel Geszti e Carlos Fuchs.

 Com Produção Musical de Carlos Fuchs e Direção Vocal de Felipe Abreu, o álbum recebe, também, a participação especial de cantores que muito inspiram Valéria em sua carreira – Joyce Moreno, Marcelo Pretto (Grupo Barbatuques – SP). João Cavalcanti (Grupo Casuarina), Moyseis Marques e Nina Wirtti.

 Com voz de timbre aveludado e dona de um estilo fluido, que dispensa firulas e acrobacias vocais, Valéria passeia com tranquilidade por vários gêneros e ritmos – embolada, moda caipira, samba, samba-canção, fox e toada, apresentando um repertório com canções raras e alguns clássicos inesquecíveis de Noel. Um panorama que vai desde o início da carreira, ainda no tempo em que integrava o seu primeiro Conjunto Bando de Tangarás (1930), até suas últimas composições (1937).

 A voz – fio condutor da história – e as teclas pretas e brancas de pianistas representativos da cena brasileira, num diálogo harmonioso do novo com o antigo, do simples com o sofisticado, mostram a riqueza e a diversidade da música de Noel Rosa, que ora sozinho, ora com parceiros, se reinventa a cada canção.

 Um Noel como ainda não se ouviu e o importante resgate de canções preciosas e ainda desconhecidas do grande público, dentre elas “SINHÁ RITINHA”, “SUSPIRO”, “E NÃO BRINCA NÃO”, “EU SEI SOFRER”, “MALANDRO MEDROSO”, “JULIETA, “EU VOU PRA VILA”, “SÓ PODE SER VOCÊ”,  FELICIDADE, mescladas com alguns clássicos que ficaram eternizados no nosso cancioneiro popular –  “AS PASTORINHAS”, “PRA QUE MENTIR”, “ÚLTIMO DESEJO” e “MEU BARRACÃO”.

 O cd NOEL ROSA, PRETO E BRANCO tem lançamento previsto para setembro de 2014 e para levar os arranjos gravados para o palco, VALERIA LOBÃO convida ITAMAR ASSIERE, pianista de muito talento e versatilidade, que assina a Direção Musical do espetáculo.

 Valéria só pôde realizar a obra que realizou porque teve o privilégio de não precisar se submeter a pressões de tempo nem a interesses comerciais; e porque tinha nas mãos um trunfo espetacular: horas e horas de um pequeno, porém cultuado estúdio carioca – a Tenda da Raposa[i], de Carlos Fuchs, Produtor Musical do cd e pai de seus dois filhos – como moeda de troca para o engajamento de grandes músicos no projeto. Isso mesmo. Caro até para os padrões praticados pelas grandes gravadoras, Noel Rosa, preto e branco foi feito na base do escambo. E o time de bambas que nele figura é formado por clientes contumazes do estúdio e/ou amigos estreitos dos donos da casa. Uma turma que integra, sem nenhum favor, a fina flor da música popular que se produz hoje no Rio de Janeiro e no Brasil.

 NOEL DE MEDEIROS ROSA, morreu há 77 anos, com apenas 26 anos e, como se soubesse que cedo partiria, nos deixou uma preciosa herança musical.

 Com o seu jeito simples de traduzir a palavra cantada, modificou a forma de se escrever música popular no Brasil e influenciou compositores de várias geracões. Foi um compositor à frente de seu tempo e continua atual. E se o Rio de Janeiro continua pulsando e respirando música da melhor qualidade, pra onde acorrem artistas de todo o país em busca de um lugar ao sol, NOEL com sua paixão e obsessiva dedicação, influenciou os rumos da nossa canção, contribuindo para esta cidade musicalmente rica.

 Com muito humor e picardia, retratou a metrópole e seus tipos comuns. Como observador profundo da vida das populações paupérrimas, cantou o morro, a miséria e a política e fez tão conhecido o bairro onde nasceu, viveu e morreu – Vila Isabel. Abriu as portas das casas da classe média para o samba do morro carioca entrar, difundindo, assim, o gênero, naquela época ainda marginalizado. E muito nos emocionou ao falar de suas desilusões amorosas e até mesmo do seu sofrimento, causado por sua doença e pelo defeito físico que o torturou desde a infância.

 NOEL ROSA, PRETO E BRANCO é um projeto de grande valor poético musical, que resgata a memória do povo de uma cidade e de um país. Ele dá voz ao compositor que nos presenteou com uma das maiores obras musicais brasileiras e que deve ser alçado a um grau de extremo prestígio na nossa cultura.

VALERIA LOBÃO
BREVE RELEASE

VALERIA LOBÃO

A cantora carioca VALERIA LOBÃO é integrante do Grupo Vocal Equale, com quem lançou os cds Expresso Gil (2000) e Um gosto de sol (2004), tendo esse último contado com a participação especial de Milton Nascimento e Danilo Caymmi.

 Participou de cds e shows de diversos artistas, como Nelson Sargento, Délcio Carvalho, Zé Paulo Becker, Danilo Caymmi, Mariana Baltar e Yuri Popoff.

 Em 2011, lançou o seu premiado cd de estreia CHAMADA, contemplado nos Editais Prêmio FUNARTE de Apoio à Gravação de Música Popular, Projeto Quintas no BNDES 2012 e pré-selecionado no Grammy Latino 2012. Produzido por Carlos Fuchs e bem recebido pela crítica especializada, o cd privilegiou canções de autores cariocas contemporâneos, reunindo um total de 57 músicos, e contou com a participação especial de Gilson Peranzzetta, Pedro Luis e a Parede, Marcos Sacramento e Equale.

Em dezembro de 2014, lançou o seu segundo cd solo NOEL ROSA, PRETO E BRANCO. Um álbum duplo de voz e pianos, produzido por Carlos Fuchs e realizado pelo selo independente Tenda da Raposa.

 FICHA TÉCNICA

SHOW NOEL ROSA, PRETO E BRANCO

 VOZ – VALÉRIA LOBÃO

PIANO  E DIREÇÃO MUSICAL – ITAMAR ASSIERE

TÉCNICO DE SOM: DANIEL VASQUES

 ROTEIRO DO SHOW

  1. MULATO BAMBA (Noel Rosa) – arranjo: Gilson Peranzzetta
  2. FELICIDADE (Noel Rosa e René Bittencourt) – arranjo: João Donato
  3. FILOSOFIA (Noel Rosa) – arranjo: Itamar Assiere
  4. SINHÁ RITINHA  (Noel Rosa / Moacyr Pinto) – arranjo: André Mehmari
  5. TRISTE CUÍCA (Noel Rosa / Hervê Cordovil) – arranjo: Marcos Nimrichter
  6. SUSPIRO (Noel Rosa / Orestes Barbosa) – arranjo: Gabriel Geszti
  7. MINHA VIOLA (Noel Rosa) – arranjo: Leandro Braga
  8. EU VOU PRA VILA (Noel Rosa) – arranjo: Cristovão Bastos
  9. EU SEI SOFRER (Noel Rosa) – arranjo: Eduardo Farias
  10. PRA QUE MENTIR (Noel Rosa / Vadico) – arranjo: Vitor Gonçalves
  11. SÓ PODE SER VOCÊ (Noel Rosa / Vadico) – arranjo: Rafael Vernet
  12. ÚLTIMO DESEJO (Noel Rosa) – arranjo: Carlos Fuchs
  13. VOCÊ SÓ…MENTE (Noel Rosa / Helio Rosa) – arranjo: Adriano Souza
  14. EU AGORA FIQUEI MAL (Noel Rosa / Antenor Gargalhada) – arranjo: Fernando Leitzke
  15. PELA DÉCIMA VEZ (Noel Rosa) – arranjo: Duo GisBranco
  16. MEU BARRACÃO (Noel Rosa) – arranjo: Marcelo Caldi
  17. PASTORINHAS  (Noel Rosa / João De Barro) – arranjo: André Mehmari
  18. FEITIO DE ORAÇÃO (Noel Rosa / Vadico) – arranjo: Itamar Assiere