SAMBA BOM

“Num samba desses vale a pena a gente entrar!”, arremata Geraldo Pereira em Samba bom, um de seus maiores sucessos até hoje cantado em bares e gafieiras, Brasil afora.

Pois foi inspirado neste mote que foi criado o grupo SAMBA BOM, em 2008, durante a turnê nacional do Musical “Sassaricando”, inicialmente para comandar a roda de samba de uma das casas mais badaladas do Rio de Janeiro: o Trapiche Gamboa. Com um repertório repleto de sambas clássicos e outros raros – mas igualmente dançantes – o grupo é formado por Pedro Paulo Malta (voz e tamborim), Luís Filipe de Lima (violão de sete cordas), Tiago Prata (cavaquinho), Alexandre Maionese (flauta, tamborim e voz), Beto Cazes e Fábio Cazes (percussões).

No SAMBA BOM deste sexteto de respeito – todos atuantes na noite carioca, com quilometragem e repertório pra ninguém botar defeito – a ordem é levar para a roda só o que fizer jus ao nome do grupo. De Candeia a Caymmi, de Dona Ivone Lara a Cartola, de Monarco a Elton Medeiros, de Wilson Baptista a Paulinho da Viola, do patrono Geraldo Pereira aos craques de hoje.

Além das rodas de samba na noite carioca, o grupo já montou e realizou shows em homenagem a mestres como Ataulpho Alves (2009), Nelson Cavaquinho (2011) e Herivelto Martins (2012). Como nosso repertório é amplo e podemos pesquisar o que for necessário para fazer o mesmo com outros compositores. Tomando como base o repertório que a gente já toca, já teríamos como montar Geraldo Pereira, Noel Rosa, Ismael Silva, Wilson Baptista, Lamartine Babo, Braguinha, Elton Medeiros, a dupla Bide-Marçal e Dorival Caymmi, cujo centenário, aliás, se completa em 2014.


Quem é quem

Alexandre Maionese :: flautista, tamborinista e também cantor, arriscou as primeiras notas na Banda do Colégio Salesiano (Niterói), antes de se tornar craque do samba e do choro, lançando mais tarde o CD solo Flauta de prata – Benedito Lacerda 100 anos;

Beto Cazes :: veterano do grupo, é percussionista com longa folha de serviços prestados ao samba, tendo integrado o conjunto Coisas Nossas, Orquestra de Cordas Brasileiras, Camerata Carioca e Nó em Pingo D’Água. Atualmente, participa também do conjunto Rabo de Lagartixa;

Fabio Cazes :: filho de Beto, carioca da Tijuca, é percussionista do grupo Samba da Ouvidor, formado pela nova geração de talentosos sambistas cariocas;

Luís Filipe de Lima :: violonista de 7 cordas, arranjador, compositor e produtor de discos, é diretor musical de espetáculos sobre os mais diversos temas e personagens da música brasileira, entre os quais o “Sassaricando”;

Pedro Paulo Malta :: cantor, pesquisador, ator do espetáculo Sassaricando, jornalista nas horas vagas;

Tiago Prata :: cavaquinista, violonista e pesquisador da nova geração do samba e do choro cariocas, é integrante do conjunto Samba da Ouvidor.