fino-choro

 

O conjunto musical “Fino Choro” apresenta o espetáculo “Choro em fino trato”. Trata-se de uma apresentação de choros dos grandes mestres, como Pixinguinha, Ernesto Nazareth, Jacob do bandolim, Waldir Azevedo dentre outros, com uma abordagem camerística, típico em apresentações de música clássica. Beneficiando-se da experiência dos integrantes no campo da música clássica, pois todos fazem parte da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais.

Fino Choro usa toda a técnica refinada exigida na música clássica para fazer uma interpretação de muito bom gosto trazendo assim uma relação muito próxima com a música de câmara de concertos eruditos. Desta forma,cria-se então uma interpretação muito rica e diferenciada de choros, numa abordagem inovadora e revigorante, baseado em arranjos musicais bastante criativos.

Eliseu Martins de Barros – Violino

Bacharel em violino pela UFMG,Eliseu integrou as Orquestras Jovens do MERCOSUL entre 2001 e 2003 e a Mundial no Japão,promovida pelo Pacific Music Festival em 2000. Professor de Viola na UFMG entre 2005 e 2006, venceu o Concurso Jovens Solistas de Juiz de Fora (1991 e 1993), UFMG (1991 e 1992), Orquestra Sinfônica de São Paulo (1996) e UFMG Música de Câmara com o Quarteto Mineiro de Cordas (2000). Solo que regeu concertos com as Orquestras Sesiminas-Musicoop, Sinfônica da UFMG e Sinfônica de Cuiabá.

Foi professor de violino nos festivais de música de São João Del Rey, Pro-música de Juiz de Fora, Domingos Martins (Espírito Santo) e Ouro Branco.

Como violinista e violista atuou como músico convidado nas Orquestras Sinfônica do Estado de São Paulo, do Teatro Nacional de Brasília, Brasileira (Rio de Janeiro) e de Ribeirão Preto. Atuou ainda como spalla nas Orquestras Sinfônica de Ribeirão Preto, UFMG, SESIMINAS-MUSICOOP e de Minas Gerais. Atualmente, é aluno do violinista fluminense Daniel Guedes, discípulo de Pinchas Zuckerman.

William Branham Martins de Barros – viola

William iniciou seus estudos de violino com o professor Edson Queiros. Apresentou-se como solista nas Orquestras do Estado de São Paulo, de Câmara SESIMINAS-MUSICOOP e da Escola de Música da UFMG.

Além de integrar o naipe de violas da Filarmônica de Minas Gerais, atua como violista do Quarteto Mineiro de Cordas. Em 2002, o Quarteto recebeu o primeiro prêmio do Concurso Música de Câmara da Escola de Música da UFMG. Em setembro de 2002, por indicação de conceituados músicos, o grupo foi convidado pela direção da Orquestra Jovem do MERCOSUL a realizar turnê pelo Brasil Argentina e Uruguai junto a Orquestra de Jovens do MERCOSUL, sob regência do Maestro MosheAtzmon e participação do violoncelista Antônio Menezes. Atualmente, esta sob orientação do professor Daniel Guedes.

Robson Fonseca Ferreira – Violoncello

Mineiro de São João Del Rey, iniciou seus estudos no Conservatório Padre Jose Maria Xavier, onde também foi professor de violoncelo. Frequentou cursos ministrados por renomados músicos como Matias de Oliveira Pinto na Alemanha, Antônio Menezes, seguindo seus estudos com Alceu Reis, e nos EUA com Julian Trytynsky.

Formou-se pela USP, instituição pela qual obteve o I Prêmio Oliver Toni. De 2003, a 2009, foi chefe de naipe dos violoncelos da Sinfônica de Ribeirão Preto e professor na Escola de Música de Sertãozinho. E músico da Filarmônica de Minas Gerais desde 2011.

Renata Xavier – Flauta

Renata iniciou seus estudos no Conservatório Estadual de Música de Pouso Alegre,sua cidade natal. Em 1999, ingressou no Instituto de Artes da UNESP, concluindo seu bacharelado em flauta em 2002, sob orientação de Jean Noel Saghaard. Foi aluna também de Rogério Wolf.

Integrou importantes grupos, como a Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo, a Orquestra Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo, a Orquestra Jovem de Guarulhos, a Sinfônica Heliópolis, a Banda Sinfônica de Cubatão e a Orquestra Sinfônica da USP. Participou de concertos com Zizi Possi, Luiz Melodia, Ivan Lins, Spok Frevo Orquestra, Demônios da Garoa, Roberto Sion. Atualmente é flautista da Filarmônica de MG.

Rafael Alberto- percussionista

Natural de Santos, interior de São Paulo, Rafael iniciou seus estudos musicais aos nove anos. Formou-se no Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos em Tatuí e concluiu o bacharelado em Percussão pela Unesp em 2008 sob orientação dos professores John Boudler, Carlos Stasi e Eduardo Gianesella.  Em 2011, concluiu seu mestrado na Stony Brook University, em Nova York, como aluno de Eduardo Leandro. Foi bolsista integral da instituição, pela qual recebeu o prêmio de excelência pelo trabalho como Professor Assistente de Percussão. Além disso, participou de quatro edições do Festival de Campos do Jordão.

Rafael integrou a Orquestra Sinfônica de Stony Brook e o ContemporaryChamber Players, grupo especializado em música dos séculos XXI e da segunda metade do XX. Participou também do Piap, grupo de Percussão da Unesp, e do PercuTRIZ – Trio Percussivo, pelo qual foi finalista do programa Furnas Geração Musical III em 2008. Atuou como músico convidado da Amazonas Filarmônica e do Percorso Ensemble, gravando o álbum Música Plural. Juntamente com o percussionista Leonardo Gorosito, fundou o Duo pLuRal em 2010 e, no ano seguinte, passou a integrar o naipe de Percussão da Filarmônica de Minas